Botões

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Especialista diz que educação cara não dá certeza de boa educação

As mensalidades das escolas cariocas com as melhores notas no Enem 2012 não devem desanimar famílias que não podem arcar com estes custos. Educação cara não significa boa educação. Os pais devem encontrar a proposta pedagógica que mais combina com seu filho. E um aluno pode ser brilhante mesmo em colégios com menos reputação. Estas afirmações são da educadora Andrea Ramal, escritora e doutora em Educação pela PUC-Rio, que foi professora do ensino médio por 20 anos.

- Independentemente da reputação ou dos resultados da escola, os pais devem se certificar de que não estão pagando só pela grife. Antes de matricular seus filhos, eles precisam conhecer a proposta pedagógica e conversar com quem já tem crianças no colégio. Escolher uma escola pelo preço é igual a ir a um restaurante e pedir o prato mais caro sem saber o que é - argumenta a especialista, para quem o Enem não deve ser, de maneira nenhuma, o único ponto de atenção. - O Enem é uma avaliação importante, e deve ser levado em conta, sim. Mas só o exame não mede a formação de um estudante. A educação deve ir muito além disso.

Para Andrea, instalações e equipamentos de ponta podem, se bem aplicados, qualificar o ensino. Mas os pais não devem se deslumbrar com isso.

- Como dizia Roberto Freire, o bom professor ensina até debaixo de uma árvore. Há bons colégios com mensalidades mais baixas, ou até públicos, onde o aluno pode se desenvolver muito bem. Quem faz a escola é o aluno. Para isso, o acompanhamento da família é essencial. Não adianta matricular seu filho numa escola cara e com ótimos resultados no Enem se você não participar. O engajamento dos pais deve ir muito além de pagar as mensalidades - frisa ela. - Se o pai só dispõe de R$ 1 mil para a mensalidade, ele deve se perguntar o que fazer para enriquecer a educação do filho. Estimular a leitura, o gosto pelo cinema etc.

Muitas das melhores escolas no Enem se beneficiam por receber alunos de famílias com uma boa bagagem cultural, e algumas ainda fazem processos seletivos na hora da matrícula de novos estudantes no ensino médio.

No ranking nacional, Rio e São Paulo são as cidades com as escolas particulares mais caras entre as mais bem avaliadas no exame. No Colégio Bernoulli, de Belo Horizonte, segundo lugar no ranking nacional, um professor pode ganhar até R$ 15 mil e a mensalidade custa R$ 1.400 para os alunos do 3º ano do ensino médio. O valor está bem abaixo da média praticada pelas instituições consideradas de elite no Rio. Entretanto, segundo especialistas, deve haver muito cuidado ao se comparar preços de municípios diferentes, já que os custos locais alteram a conta.

Para o presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais e Alunos (Confenapa), Pedro Barreto, muitas mensalidades são abusivas:

- Quando a classe média lutar de verdade por uma escola pública de qualidade, as mensalidades das privadas vão baixar, até pelas leis de mercado.

Fonte: JC e-mail 4866, de 02 de dezembro de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário