Botões

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Fusão de Anhanguera e Kroton é questionada

A fusão entre os grupos de ensino Anhanguera e Kroton, anunciada em abril do ano passado, está sendo questionada por minoritários da Kroton e por analistas de bancos. "Acho que o valor da Anhanguera está muito alto, principalmente, devido ao desempenho da companhia no último ano", diz James Gulbrandsen, sócio da gestora americana NCH que tem participação na Kroton.

Há outros minoritários da Kroton insatisfeitos com as condições acordadas no ano passado, segundo o Valor apurou. A fusão prevê uma troca de ações entre as duas companhias. A razão de troca acordada na época era que cada ação ordinária da Anhanguera valeria 1,36429 ação da Kroton.

De lá para cá (excluindo a data do anúncio da fusão), os papéis da Kroton subiram 50,7% enquanto os da Anhanguera caem 6%. Hoje, o papel da Kroton é cotado a R$ 41,44 e o da Anhanguera, R$ 11,57. "Confio muito na gestão do [Rodrigo] Galindo [presidente da Kroton], mas não estou satisfeito com o preço de Anhanguera, que é uma empresa cheia de problemas", diz Gulbrandsen.

No ano passado, investidores compraram ações da Anhanguera de olho no ganho que poderiam ter com a troca de ações. Mas nos últimos meses, começaram a se desfazer do papel. Um acionista que seguiu esse caminho foi a gestora americana BlackRock : reduziu sua fatia de 5,48% para 4,55% na semana passada.


Fonte: Valor Econômico, em 24/02/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário