Botões

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Pesquisa 'Este Jovem Brasileiro' revela os comportamentos e os impactos do uso da Internet

Mais de quatro mil alunos, de 36 escolas particulares, em 14 estados participaram do projeto, que também envolveu mais de 300 pais e cerca de 60 professores; os resultados indicam que jovens que têm problemas em casa e na escola, enfrentam mais dificuldades emocionais e usam álcool, cigarro ou drogas com mais frequência e também são mais vulneráveis a enfrentar problemas no uso da Internet
Este Jovem Brasileiro  2014
•       Mais de 90% começaram a acessar as redes sociais com 12 anos ou menos, e 86% admitem já ter mentido a idade para poder acessar alguma dessas redes;
•       Quase 95% acessam a Internet todos os dias ou quase todos os dias e 85% usam a Internet por duas horas ou mais;
•       Só 33% dizem ter problemas com os pais pelo exagero no uso, enquanto 80% dos pais dizem ter problemas com os filhos em função do tempo de conexão.
•       63% concordam que é mais fácil esconder dos pais aquilo que acessam pelo tablet ou celular;
•       22% dos jovens já ficaram, 11% já namoraram e 5% já fizeram sexo com pessoas que conheceram pela Internet; pouco mais de 1% dos pais sabem, embora sejam contra esse comportamento.
•       23% já foram vítimas de insulto ou violência pela Internet, 16% já enfrentaram algum tipo de preconceito e 36% já ficaram tristes por problemas vividos na rede;
•       72,5% já mentiram na Internet e 37% já agiram de modo agressivo ou ofensivo com alguém;
Como os jovens brasileiros estão usando a Internet, quais os impactos em sua vida?  Embora a maioria tenha uma convivência saudável com a rede, muitos já derraparam em um momento ou outro e se expuseram a riscos, e tanto para os jovens, como para os seus pais e professores, está claro que o uso da internet vai exigir cada vez mais conversa e reflexão.  Estas são algumas conclusões da pesquisa realizada pelo Portal Educacional (www.educacional.com.br) na edição 2014 do projeto "Este Jovem Brasileiro", desenvolvido em parceria com o psiquiatra Jairo Bouer com o objetivo de conhecer o comportamento dos jovens e refletir, junto com eles, com a comunidade escolar e com os pais, sobre assuntos cruciais para a vida deles.

Este ano, mais de 4 mil estudantes, 95% deles com idade entre 13 e 16 anos, de 36 escolas particulares em 14 Estados do país participaram da pesquisa. Além dos estudantes, mais de 300 pais e cerca de 60 professores também responderam às perguntas e contribuiram para um quadro mais completo.

Uma das constatações é que jovens que têm mais problemas na vida em geral também são mais vulneráveis a enfrentar problemas no uso da Internet – nas pesquisas anteriores sobre sexo, álcool, drogas, violência, jovens com este perfil também revelaram ser mais sujeitos a problemas e riscos.

“Esses jovens reúnem elementos de dificuldades emocionais e familiares, questões de autoestima, oscilações emocionais, avaliação inadequada de diversas situações que os coloca mais em risco. Por isso, merecem cuidados redobrados para que possam reverter essas posições”, comenta Bouer.

No entanto, ele ressalta que não só esses grupos correm riscos. “Vimos que boa parte dos alunos, em muitas situações, já vacilaram e  se expuseram a situações que poderiam ter trazido consequências às vezes até sérias para a sua vida. O uso da Internet é fundamental na vida de todos nós, mas tem que ser feito com atenção, precaução e cuidados. Resumindo, para os jovens, para os seus pais e para os professores, o mundo da internet é um espaço que vai exigir cada vez mais conversa e reflexão”, afirma Jairo.

Hoje, de acordo com a pesquisa a internet é apenas a quarta preocupação dois pais em relação aos filhos, vindo depois de dificuldades emocionais, violência e rendimento na escola, mas à frente de questões, como drogas, cigarro, álcool e sexualidade. Já entre os professores que responderam ao questionário da pesquisa, o uso da Internet é a terceira maior preocupação em relação aos seus alunos, sendo precedido do rendimento na escola e de dificuldades emocionais. O projeto “Este Jovem Brasileiro” é realizado anualmente pelo Portal Educacional.

Sobre a Positivo Informática:A Positivo Informática (BM&FBOVESPA: POSI3), maior fabricante brasileira de computadores, é líder de mercado há mais de oito anos consecutivos e tem destacada presença na Argentina. Emprega mais de 5,1 mil colaboradores em suas fábricas no Brasil, localizadas em Curitiba (PR), Manaus (AM) e Ilhéus (BA), e na Argentina, na Terra do Fogo. Integram seu portfólio de produtos desktops, notebooks, tablets, smartphones e celulares. Presença em cerca de 10 mil pontos de venda no Brasil e 2 mil na Argentina, além de contar com mais de 5 mil revendedores cadastrados em todo o Brasil. Líder também na área de tecnologia educacional, com soluções  em cerca de 8,9 mil escolas públicas, 2,2 mil escolas particulares, mais de 3 mil pontos de venda no varejo em todo o Brasil e exportação para mais de 40 países. 


Fonte: Positivo Informática
Mais informações disponíveis em www.positivoinformatica.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário