Botões

quarta-feira, 29 de março de 2017

Brasil é um dos países mais hostis com seus professores

Em uma escola da rede pública de ensino em Araçatuba (SP), um pouco antes do Carnaval, uma professora foi mordida com força no braço por uma aluna de 14 anos, depois de ser repreendida por mau comportamento em sala de aula. O fato virou caso de polícia. “Problemas de agressão e de intimidação de professores por alunos, infelizmente, são frequentes no Brasil. E o número de ocorrências deve ser maior do que se imagina. Por diversas razões, muitos casos devem ser desconhecidos”, acredita Fabio Silva, coordenador pedagógico do Ético Sistema de Ensino.

De fato, o Brasil é um dos países mais hostis com seus professores, principalmente da rede pública de ensino. É o que mostra uma pesquisa realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em 2014. Entre 34 economias avançadas ou emergentes, em que mais de 100 mil professores foram entrevistados, o Brasil lidera o ranking de violência nas escolas. Dos educadores que foram escutados aqui, 12,5% disseram já ter sofrido agressões verbais ou intimidações por parte de alunos, ao menos uma vez por semana.

“É um número impressionante, se comparado a média observada nessa pesquisa. Nos outros países, apenas 3,4% dos professores disseram fazer parte desse grupo. Essa violência se deve, entre outros fatores, principalmente à falta de valorização que damos aos nossos professores”, diz o coordenador pedagógico. A pesquisa também aponta para isso. Para apenas 12,6% dos entrevistados, a profissão é valorizada no Brasil, enquanto que nos outros países que participaram dessa pesquisa, 31% pensam da mesma forma.


Fonte: Ético Sistema de Ensino, em 08/03/2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário