Botões

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Assistência chinesa impulsiona formação de professores na África

A assistência chinesa ao setor de educação da África está ajudando a impulsionar a formação de professores, um componente-chave no treinamento das habilidades da população para acelerar o desenvolvimento, disse uma funcionária da ONU.

   Em uma entrevista, Ann Therese Ndong-Jatta, diretora do Escritório Regional para a África Oriental da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), reconheceu a contribuição da China para o setor da educação da África nos últimos anos.


   "Valorizamos a iniciativa de formação de professores em Uganda e em outros países africanos. O movimento revitalizará a profissão docente", informou.


   Através da UNESCO, a China doou equipamentos para três instituições de formação de professores em Uganda em 3 de março. Os dados provenientes da embaixada chinesa no país mostram que 137 tutores receberam formação e 272 peças de Tecnologias e Comunicação de Informação e equipamentos de estúdio foram doados.


   Ndong-Jatta indicou que os tutores estudaram como integrar as tecnologias com os métodos tradicionais de formação.


   A China está financiando um projeto de US$ 8 milhões via UNESCO, com objetivo de reduzir a diferença da qualidade educacional no continente.



   O projeto "Melhorar a Formação de Professores para Reduzir a Diferença da Qualidade Educacional na África" visa acelerar o progresso para realizar a Educação para Todos e a Meta 4 do Desenvolvimento Sustentável, que é a educação de qualidade.


   O projeto de quatro anos que começou em 2012 se concentrou na oferta de número suficiente de professores qualificados na África por meio dos programas de formação.


   Oito países africanos, incluindo Costa do Marfim, Etiópia, Namíbia, República Democrática do Congo, Congo, Libéria, Tanzânia e Uganda, estão se beneficiando do programa.


   Segundo Ndong-Jatta, além da cooperação na educação de nível primário, a China tem cooperado com a África para fortalecer o ensino superior.


   A China ajudou a estabelecer o Instituto de Capacitação para a Formação de Professores da Etiópia, e alguns países africanos também tiveram intercâmbios de alunos e professores com a China, afirmou a diretora.


   De acordo com Ndong-Jatta, uma conferência foi programada no Djibuti para discutir como impulsionar ainda mais a cooperação com a China na área de ensino superior.


Fonte: Agência Xinhua, em 16/03/2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário